Estamos deteriorando a saúde espiritual?

(Clique no post para ver a imagem / Fonte – Um muito obrigada a minha amiga Bia por ter deixado eu usar a foto dela para esse post <333 Visitem a página dela para mais imagens lindas como essa *-* E peçam ensaios com ela para ela atualizar a página)

Quando fiz aquele post de dia das crianças (para quem ainda não viu, aqui está), tive a oportunidade de travar uma conversa curta, porém muito interessante com uma das participantes do post (Marisa, se você estiver lendo isso, muito obrigada mais uma vez!), uma professora minha. Ela comentou sobre como os pais hoje em dia estão dando muito mais atenção em suprir as necessidades físicas dos seus filhos do que as necessidades psicológicas, que (acho que nem preciso falar) são tão importantes quanto – se não mais importantes muitas vezes, devo dizer.

E é nesse post que essa conversa me levou. Por que muitos pais mimam suas crianças, cuidam para que estejam sempre “saudáveis”, sendo que ser saudável é muito mais do que não estar doente e acima do peso? Por que muitos se preocupam mais em dar presentes e comprar comida para elas quando, na verdade, talvez o que elas mais precisem seja amor, carinho e atenção?

Continuar lendo

Anúncios

Feliz Natal!

(Clique no post para ver a imagem / Fonte)

cute

(Fonte)

Como não poderia deixar de ser, estou passando aqui para desejar um Feliz Natal para todos :3

christmas.gif

(Fonte)

Muita saúde, paz, amor (principalmente, amor próprio), alegria, felicidade (que você mesmo faz :P) e tudo de bom na vida de vocês <333

haha

(Fonte)

Ah, e sei que já passou a tão famosa ceia de natal, mas também não se esqueçam de comer bastante no almoço, ok? 😛

yui.gif

(Fonte)

Além disso, queria avisar que, como vocês já devem ter percebido, haverá posts garantidos todos os dias pelo menos até o primeiro dia do ano o/ Espero que gostem ><

 

E que tal parar de se esconder?

(Clique no post para ver a imagem / Imagem: Fonte)

E que tal parar de se esconder? Se mostrar ao mundo? Mostrar para todos quem você realmente é?

Não tenha medo, as coisas são assim mesmo. Nem todos irão aceitá-la, nem todos irão amá-la, acolhê-la de braços abertos. Mas, posso contar um segredo?

Essa é a parte mais divertida da coisa.

Tudo bem, a vida gosta sim de pregar algumas peças na gente de vez em quando. Nos enganar com pessoas que parecem ser nossas melhores amigas ou amigos, nossos melhores companheiros. Mas aí, no segundo seguinte, a gente quebra a cara, porque descobrimos que as coisas não eram exatamente do jeito que a gente imaginava.

Mas não se preocupe, nem todo mundo é assim.

Há pessoas que farão as coisas darem certo, mesmo nos piores momentos. Há pessoas que estarão lá nos guiando, nos dando apoio, nos dizendo que vai ficar tudo bem mesmo quando essa parece ser a menor das possibilidades.

Vamos lá, pare de se esconder. Não tem nada do que ter vergonha.

Não há nada a temer.

ESPELHO

(Imagem: Fonte)

Ao sair do banho, olhei-me no espelho. Já era a 30º vez que fazia aquilo no dia. E para que? Apenas para lembrar do quanto o meu peso e minha aparência me tornavam miserável, não digna do olhar das pessoas? Eu sabia. Todos queriam desviar seus olhares ao me verem. Era uma perturbação na sua imagem da realidade. É a quebra de que nem todos nascem obedecendo ao padrão dado pelas revistas.

Constantemente me lembrava das milhares de vezes em que, ao visitar uma banca de jornais, sentia os olhares não só das pessoas que passavam por ali, mas também dos rostos estampados nas capas das revistas, que fincavam seus olhos em mim e pareciam dizer “Seja como nós. Você precisa ser como nós. Ninguém irá amá-la desse jeito. Você precisa mudar. Afinal, como poderia ser feliz assim?”

Continuar lendo

Vá se aventurar por aí

– Filha, nós teremos que nos mudar para o campo.

Foi tudo o que meus pais disseram antes da minha vida virar um completo desastre. Não me leve a mal, eu realmente aprecio a natureza e tudo isso, mas viver no meio do nada? Ótimo. Também não consigo pensar em nada para descrever tal situação além de: chato. Ou, na visão dos meus pais, “uma oportunidade única na sua vida”. Realmente, só assim eu nunca mais teria acesso à internet ou a qualquer outra coisa comum nas nossas vidas (como produtos prontinhos para o seu consumo).

Continuar lendo

A verdade…

(Clique no post para ver a imagem)

A verdade é que nós nos acostumamos. E nos acostumamos tanto que ficamos acostumados de nos acostumar.

Há aqueles que vivem na riqueza, no luxo e que não medem esforços para manter sua condição, apesar de não podermos dizer que isso se aplica a todos os que a alcançam. Continue, continue. Ignore aqueles que estão bem ao seu lado, morrendo de fome, morrendo de frio, morrendo de guerra, morrendo de falta. Do que mais? Morrendo de falta de amor. Morrendo de falta de atenção. Morrendo de falta de empatia.

Não, meu caro, isso não é nenhuma doença contagiosa, não se preocupe. Mas se você acha que está imune por conta disso… Bem, não cabe a mim dizer.

Morrendo, morrendo aos poucos, morrendo instantaneamente, morrendo…

Ignore. Afinal, não foi isso o que você tem feito a vida toda? Ignore. Continue olhando para a frente. Não olhe para trás. Não olhe para baixo. Não olhe para os lados.

Ignore, ignore, ignore. Seja feliz, siga com a sua vida. O que eles tem a ver com você? Nada, não é mesmo? Do que mais você precisa além do que está ao seu redor?

Mais, mais. Eu quero alcançar mais. Quero alcançar o topo. E depois disso? O que importa depois disso? Sempre tem algo depois do depois do depois…

Uma vida confortável, tudo ao alcance da mão? As pessoas me olham com olhos tortos, mas e daí? Olha tudo isso que eu tenho, o que mais eu poderia pedir? Quem é que precisa daqueles fracassados? Quem é precisa de algo além de riqueza, poder?

Resposta certa. Ninguém.

“Há aqueles que vivem só de amor”. Pffft. Que palhaçada. Nunca ouvi tamanha calúnia como essa! O que é que o amor pode comprar? Para que ser amado? Pouco me importa o que os outros sentem por mim, eu tenho tudo do que preciso.

“O amor garante que eu tenha alguém quando eu morrer. Isso é tudo.”

“E você vai poder levá-lo depois do túmulo?”

“Não, mas pelo menos eu deixo algo de um valor inimaginavelmente maior do que o que você deixaria. As pessoas irão poder sorrir quando se lembrarem de mim. Não irão me ignorar nas suas mais profundas lembranças. E você, o que é que você deixa aqui?”

“Está vendo como a gente depende dos outros também? Vai confiar a sua felicidade em coisas materiais enquanto eu me preocupo mais em travar relações com as pessoas que amo.”

P.S.- Inspirado nesse vídeo aqui e nas coisas que a vida vai trazendo para a gente.

Imagem: Fonte

Você não é fraco. Você só é humano

Você não é fraco porque chora toda noite quando se deita. Você não é fraco porque não consegue confiar nas pessoas. Você não é fraco porque não passou na prova. Você não é fraco porque ainda não conseguiu esquecer. Você não é fraco porque quer mudar o mundo. Você não é fraco porque ainda não é quem deseja ser. Você não é fraco porque ainda não conseguiu seguir em frente. Você não é fraco porque não se contenta com o rumo que as coisas estão tomando. Você não é fraco porque realmente ama alguém. Você não é fraco porque é gentil com as pessoas. Você não é fraco porque se importa. Você não é fraco. Você só é humano.

Imagem: Fonte

“Vá se descobrir”

Escreva quando você quiser escrever. Aceite aquele abraço que você queria retribuir, mas que acabou não acontecendo por conta de hesitação da sua parte. Não tenha medo de fazer aquilo que você ama em detrimento de muitas outras coisas que você poderia estar fazendo no lugar. Nada é um gasto de tempo. Aceite aquele convite do seu amigo que quer sair com você para relembrar os velhos tempos, ele pode precisar de você mais do que você imagina. E o que é mais surpreendente: Você pode precisar da companhia dele mais do que você pensa. Desabafe. Fique umas horas conversando com as pessoas que amam você e que você ama de volta. Cante aquela música que tem tanta vontade no chuveiro. Dance no carro. Corra loucamente. Volte a ser criança. Ria das coisas mais estúpidas. Brinque. Saboreie. Aproveite. Vá para o sol. Saia na chuva. Pule nas poças. Corra atrás de esquilos. Suje toda a sua roupa. Vá em busca de uma grande aventura. Sorria. Corra. Ande. Nade. Pule. Viaje (na maionese). Seja louco. Seja leve. Seja você mesmo. Liberte-se. Permita-se.

Resumindo:

Vá se descobrir

Afinal, sabemos quem somos?

Que sei eu do que serei, eu que não sei o que sou?
Ser o que penso? Mas penso tanta coisa!

– Álvaro de Campos (Fernando Pessoa) – Tabacaria

(Imagem: Fonte)

Curioso como a gente pensa que conhecemos bem as pessoas quando, na verdade, na maioria dos casos estamos apenas navegando na superfície de cada uma (e nos contentamos com isso!).

Esses dias descobri que um conhecido meu estava gostando de uma amiga minha, e que tinha achado ela bonita. Me sinto meio mal por falar aqui, mas claro que não irei mencionar nomes nem nada. Afinal, o que me interessa realmente é a reflexão que isso acabou me trazendo.

Me surpreendi quando fiquei sabendo de tal fato. O que é mais estranho ainda: Me surpreendi por estar surpreendida. Como assim? Eu explico. Não sou muito chegada dessa minha amiga, confesso, não sei muito bem o que ela gosta de fazer quando ninguém mais está olhando. Às vezes posso não ter nem mesmo a menor ideia de que jeito ela se comporta quando não estou perto dela. Sei qual é a sua cantora favorita, mas não acho que isso conte, afinal, em um de seus aniversários ela foi no show da tal pessoa (e postou foto em uma de suas redes sociais) e ainda tem uma camiseta dela. Ou seja, não é uma informação lá muito válida.

O que estou querendo dizer é que tem vezes que nós não conhecemos as pessoas o máximo que podemos. E eu já tinha percebido isso antes. Eu já sabia disso. Mas, sei lá, esse acontecimento meio que foi um choque (do tipo tapa na cara) para mim (e talvez por isso eu tenha ficado surpresa por ter me surpreendido depois). O que eu acho disso? Não sei, ainda não tenho certeza. Acho que estou no processo de pensar que às vezes isso acontece por dois possíveis motivos: 1) Nossas relações estão se tornando líquidas, como diria Bauman, e, por isso, as pessoas não demonstram um real interesse por todas as pessoas 2) Isso simplesmente é uma coisa normal da vida, às vezes acabamos nos identificando mais com certas pessoas e, com isso, nos tornamos mais próximas delas do que de outras. O que serve para mim? Sinceramente, ainda quero descobrir também.

Mas enfim, voltando ao assunto, penso que, qualquer que seja o motivo, ainda acredito que, mesmo não conhecendo a fundo todas as pessoas à nossa volta (às vezes, até mesmo por falta de oportunidade) o importante é que nunca devemos nos esquecer de que as pessoas têm suas próprias vidas além do que a gente presencia. Além do que está ao nosso contato. E, até com as pessoas que você é extremamente próxima, penso que apenas elas mesmas têm a oportunidade de se conhecerem do jeito que realmente são. Gosto de pensar que nós só realmente somos quem somos quando ninguém mais está ao nosso lado. Pode parecer um pouco solitário de certo lado, mas ainda acredito que essa possa ser a verdade.

Por isso, não acho que deveríamos duvidar se tal situação como a que eu descrevi acontecer. É estranho? Confesso que sim. (Não que eu não ache a minha tal amiga bonita, simpática ou capaz de criar um sentimento em alguém. Acho que foi mais pelo fato de eu nunca ter realmente pensado a fundo nisso, e isso vale para todas as pessoas… Por isso pareceu estranho à primeira vista). Porém, todos sabemos que esse mundo está cheio de pessoas diferentes umas das outras, cada uma com o seu jeito de ser, com o seu ponto de vista, modo de ver o mundo, modo de ver a beleza. Isso não é incrível? Mesmo que tenham pessoas que não acreditem no seu potencial, você sempre acaba achando aquelas que o fazem no lugar.

Como disse uma conhecida minha em seu status do whatsapp: “Somos todos um pequeno universo”. Achei poético, e concordo plenamente. Acredito que descreve bem como esquecemos de ver as oportunidades em cada um. E você, o que acha? Pense nisso.